O QUE FAZER EM MOSCOU

Moscou é uma cidade feita para ser desbravada e explorada em sua maior parte a pé. A capital russa é histórica, cheia de museus e monumentos. Os principais pontos turísticos estão no centro da cidade, onde fica o Kremlin. Seu excelente sistema de transporte público faz de Moscou um lugar extremamente acessível. Separe pelo menos quatro dias para explorar a cidade.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Praça Vermelha e Kremlin

Muita gente confunde Kremlin com Praça Vermelha mas não há mistério. Kremlin é a “fortaleza de muros vermelhos” onde ficam vários museus, igrejas e a própria residência oficial do presidente da Rússia. A Praça Vermelha está situada na lateral do Kremlin.

Para chegar ao Kremlin e à Praça Vermelha use o metrô. Essa parte central da cidade tem muitas atrações para visitar, então pode ser uma boa ideia separar mais de um dia para a região. De toda maneira, se você estiver indo direto para o Kremlin desça na estação Biblioteka Imeni Lenina – essa estação sai bem em frente à entrada e bilheteria do Kremlin. Se for direto para a Praça Vermelha, desça na estação Okhotniy Ryad ou Teatralnaya.

Praça Vermelha

Seu nome é derivado da palavra “krasnyi”, que quer dizer vermelho e em russo antigo significava “bela”. A entrada principal para a praça é feita pela Porta da Ressurreição, um grande portal histórico de 1968. Ele foi demolido em 1931 por Stalin para facilitar a entrada de tanques soviéticos e reconstruído em 1995, seguindo exatamente a obra original.

É lá, no coração da cidade e na ponta da Praça Vermelha, que está o cartão postal da Rússia mais conhecido no mundo: a Catedral de São Basílio, reconhecida por suas cúpulas multicoloridas e estrutura de tijolo vermelho. A igreja  foi construída entre 1555 e 1561 a mando do Czar Ivã “O Terrível”.  A Catedral de São Basílio funciona das 10h às 19h, com pequena variação dependendo da época do ano. As entradas custam 500 rublos (em torno de 30 reais) e podem ser adquiridas num quiosque que fica bem ao lado esquerdo da entrada da Catedral.

Catedral de São Basílio

Na praça também está o  Mausoléu do Lênin, onde fica exposto o corpo embalsamado do famoso líder revolucionário. A visita ao Mausoléu é gratuita e pode ser feita de terça a quinta e aos sábados, das 10h às 13h.

Também próximo ao acesso à Praça Vermelha está o Museu da Guerra de 1812. Este museu foi aberto na ocasião do aniversário da guerra da Rússia contra a França Napoleônica de 1812 e conta o desenrolar desse evento marcante na história do país. O ingresso de entrada custa 350 rublos.

Localizado bem em frente ao Mausoléu do Lênin, está o Shopping GUM. O lugar era um centro de lojas de departamento na época da União Soviética e hoje virou um shopping com uma arquitetura única e grifes internacionais, além de restaurantes e um cinema. Vale a pena dar uma passada para conhecer.

Shopping GUM

Com acesso ao lado do portão de entrada à Praça Vermelha, está o Museu Histórico Nacional (Istorychesky Muzey). O acervo do museu é enorme e conta a história russa, desde a Era Antiga até a modernidade. Nesse museu você conhecerá 39 salas, divididas em 2 andares, que contam a evolução da Rússia. A entrada sai por 400 rublos.

Museu Histórico Nacional

Kremlin

O Kremlin em si consiste do complexo arquitetônico que abrigava a cidade original de Moscou. Vale a pena visitar o Kremlin para conhecer a fundo a história russa, ver joias da época do Império e sentir de perto o clima do epicentro político do país.

Suas principais atrações são o Palácio do Arsenal do Kremlin (700 rublos) e a Praça das Catedrais (500 rublos).

No Palácio do Arsenal do Kremlin está um museu que reúne em seu acervo as riquezas dos czares russos, como carruagens, coroas, vestidos e os famosos e lindos Ovos Fabergé. Além do museu, é possível pagar uma taxa extra para visitar o Fundo de Diamantes, espaço onde ficam expostas joias valiosíssimas e diamantes.

Na Praça das Catedrais está um conjunto de catedrais incríveis, como a Catedral da Assunção, Catedral Arcanjo São Miguel, Catedral da Anunciação e o Campanário de Ivã, O Grande.

Muita gente se confunde e compra apenas uma entrada para visitar o Kremlin, quando para conhecer tudo é preciso comprar as entradas tanto para o Palácio do Arsenal quanto para a Praça das Catedrais. Você também pode adquirir entradas para as exposições extras que acontecem dentro dos muros do Kremlin, no Fundo de Diamantes.

Os ingressos para o Kremlin são vendidos nos Jardins de Alexander (estação Aleksandrovskiy Sad – estação de metrô interligada com estação Biblioteka Im Lenina). Assim que você sair do metrô, você verá os muros do Kremlin e um jardim. Desça para o jardim e lá vai estar a bilheteria.

Atenção: não é permitida a entrada no Kremlin com bolsas ou mochilas grandes. Se você estiver com uma bolsa ou mochila grande, guarde-a no guarda-volumes que fica ao lado da bilheteria.

Se você não se sente a vontade para explorar tudo isso sozinho, existem grupos como Moscou Free Tours e Moscow Greeter que oferecem passeios diários e gratuitos pelo centro da cidade, além de outros tours cheios de história e emoção.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Praça Manezhnaya

Bem próximo ao portão de entrada para a Praça Vermelha, no distrito Tverskoy, está esse grande espaço de pedestres. A praça Manezhnaya ou Manege é uma parte importante do centro de Moscou, que liga a Praça Vermelha à principal rua da cidade, a Tverskaya.

Praça Manezhnaya

Hotel Moskva

Ao leste da praça está o Hotel Four Seasons, uma réplica moderna do histórico Hotel Moskva (Hotel Moscou) de 1935. A decisão de construir o Hotel Moskva foi tomada em 1920, pelo governo da União Soviética e o projeto foi desenhado pelo arquiteto russo Alexei Shchusev. O objetivo era criar um símbolo da arquitetura do socialismo.

Se parar para reparar, verá que o prédio é metade de uma forma e tem a outra metade diferente. A história que contam é que cada ala era na verdade uma proposta de design individual que o arquiteto apresentou para Stalin, esperando que ele escolhesse uma das duas versões. Porém os dois desenhos estavam na mesma folha e Stalin assinou o projeto bem no meio da página. Como ninguém quis questionar o líder soviético, foi decidido construir ambos os projetos.

O original Hotel Moskva foi um lugar de luxo que recebeu convidados famosos, dentre políticos e estrelas de cinema. Durante a Segunda Guerra Mundial passou a ser uma fortaleza para defesa do Kremlin. O restaurante no telhado passou a ser uma estação de comando de artilharia antiaérea. Depois de voltar a ser hotel após a guerra, o Moskva encerrou suas atividades em 2002, dando lugar à criação do Hotel Four Seasons.

Jardins de Alexander

Ao sul da praça, está o Museu Histórico do Estado e os Jardins de Alexander. Os Jardins de Alexandre são um lugar perfeito para relaxar e passear. Foram inaugurados em 1821 para celebrar a vitória da Rússia sobre as forças napoleônicas. Além dos jardins, o parque dispõe de muitas fontes, esculturas e memoriais.

 

Um importante memorial solene da Segunda Guerra Mundial é o Túmulo do Soldado Desconhecido. Ele fica próximo ao muro do Kremlin, perto da entrada do parque. De hora em hora, é possível assistir à cerimônia de troca da guarda.

Túmulo do Soldado Desconhecido

A entrada para o parque é gratuita e ele fica aberto todos os dias.

Manege de Moscou e Universidade Estadual de Moscou

A oeste da praça fica o Manege de Moscou, um pavilhão de exibições que deu o nome à praça. E ao norte, está a sede da Universidade Estadual de Moscou.

Fonte Relógio Mundial e Shopping Okhotny Ryad

No centro da praça está a fonte “Relógio Mundial”, onde um mapa com os nomes das maiores capitais mundiais e 24 fusos horários do planeta são retratados na cúpula de vidro da fonte, que está constantemente em movimento. Situado diretamente abaixo do relógio, está o Shopping Okhotny Ryad, um shopping subterrâneo com diversas lojas e lugares para comer, inclusive redes estrangeiras de fast food. A entrada para o shopping fica bem em frente ao Hotel Four Seasons.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Arredores da Praça Vermelha

Saindo um pouco da região da Praça Vermelha, duas atrações são igualmente imperdíveis: o Teatro Bolshoi e a Catedral de Cristo Salvador.

Teatro Bolshoi

Fonte: bolshoyrussia.com

O Teatro Bolshoi é o mais importante da Rússia e um dos mais reconhecidos no mundo. Nele, estrearam algumas obras de dança clássica mais prestigiadas do mundo como “O Lago dos Cisnes”, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky em 1877. Ele está a poucos minutos a pé da Praça Vermelha e a estação de metrô mais próxima é a Okhotnyy Ryad. O prédio do Teatro foi recentemente restaurado, recuperando toda a sua opulência original e você pode conhecê-lo por dentro em visitas guiadas. As visitas acontecem às segundas, quartas e sextas com saídas às 11h10, em russo, e 11h15, em inglês. O ingresso da visita guiada  custa 1300 rublos e pode ser comprado no caixa do teatro.

Para quem quer ter a experiência completa, vale comprar ingresso para algum de seus espetáculos em cartaz. Os ingressos são concorridos e apesar de mais caros pelo site, é a forma mais indicada de garantir a reserva com antecedência. O importante é que compre pelo site oficial do teatro. No dia do espetáculo vale lembrar que o traje para quem frequente o teatro à noite é roupa social.

Catedral de Cristo Salvador

Um pouco mais afastada do Kremlin está a Catedral de Cristo Salvador. A igreja fica nas margens do Rio Moscou, o rio que cruza a cidade e margeia os maiores pontos turísticos da capital. Essa catedral é considerada um ícone do renascimento do cristianismo ortodoxo na Rússia. Ela foi demolida em 1931 e reconstruída apenas após o fim da União Soviética, recuperando todos os seus detalhes originais. Essa catedral é a maior igreja da Rússia, com capacidade para até 10.000 pessoas.

Para chegar à Catedral, vá até a estação Kropotkinskaya do metrô. Ela sai exatamente em frente ao acesso principal da catedral e a entrada é gratuita. Atravessando a igreja, você sairá na margem do Rio Moscou, passeando pela ponte que atravessa o rio, dá para tirar ótimas fotos da Catedral e do Kremlin.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Passeio de barco no Rio Moscou

Outra dica imperdível é o passeio de barco pelo Rio Moscou. Os passeios saem de diversos pontos espalhados pela região central de Moscou e têm diversos trajetos. Já se você estiver na Catedral de Cristo Salvador, a dica é pegar um passeio de barco circular que sai de um deck aos pés da Catedral. A maioria dos pontos de embarque fica bem perto de alguma estação de metrô e o site em inglês para mais informações é esse aqui. O passeio a partir da Catedral sai de 30 em 30 minutos, começando às 10 da manhã e custa 600 rublos.

Fonte: pro-stranstva.ru

Se quiser um passeio de barco com mais conforto e mais completo, existe a opção saindo do Hotel Ukraina (ou Radisson Royal Hotel como é chamado agora), que dura por volta de 3 horas. O passeio é operado pela Radisson Cruise e custa de 700 a 2000 rublos, dependendo da classe escolhida.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Estações de metrô históricas

Se a essa altura você já tiver feito todos esses passeios, você provavelmente andou bastante no metrô moscovita e já notou a exuberância de algumas das suas estações.

O metrô de Moscou começou a operar em 1935 e possui algumas das estações mais profundas do mundo, chegando a 84 metros de profundidade. Durante a Segunda Guerra Mundial, chegaram a ser usadas como abrigos antibombas. Passear pelo metrô de Moscou é ver preservada a arquitetura soviética e conhecer mais um pouco da história russa.

Estação Mayakovskaya

São 10 estações que merecem uma visita obrigatória: 1. Komsomolskaya; 2. Kievskaya; 3.Novoslobodskaya; 4. Prospekt Mira; 5. Belorusskaya; 6. Mayakovskaya; 7. Novokuznetskaya; 8. Ploshchad Revolyutsii 9. Arbatskaya; 10. Vorobyovy Gory. Nessa última estação vale a pena dar uma saidinha e subir para conhecer um excelente mirante com o mesmo nome.

Do mirante Vorobyovy Gory é possível avistar o estádio Luzhniki, que será palco da final da Copa de 2018 e também o suntuoso prédio da Universidade Principal de Moscou, além de admirar um belo visual panorâmico da cidade.

Vista do mirante Vorobyovy Gory

O QUE FAZER EM MOSCOU | Rua Arbat

Outra atração do centro de Moscou é a Rua Arbat. Chamada de Velho Arbat (Stariy Arbat em russo) a rua é fechada para pedestres e se estende por 1,2 km entre as estações Smolenskaya e Arbatskaya. Na rua Arbat se concentram inúmeros restaurantes, lojas de souvenirs, teatros e casas-museus de alguns dos principais escritores e poetas russos. Em especial, vale destacar a casa do reconhecido poeta Aleksandr Pushkin. Vale a pena dedicar algumas horas para conhecer essa rua que virou reduto da arte em Moscou.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Outros museus e galerias de arte

Galeria Tretyakov e Nova Galeria Tretyakov

Para quem aprecia a arte, é imprescindível visitar a Galeria Tretyakov. Trata-se de um museu, fundado em 1856 pelo mecenas Pavel Tretyakov. O museu conta com um dos maiores acervos do mundo de pintura russa, ícones da igreja ortodoxa russa e esculturas. Nele, você vai poder ver obras de pintores renomados como Kramskoy, Repin, Surikov, Vereschagin e outros. A entrada custa 500 rublos e o museu fica na rua Lavrushinskiy, perto da estação Tretyakovskaya. Funciona diariamente a partir das 10 da manhã, exceto segunda-feira.

Além disso, existe também a Nova Galeria Tretyakov, que fica perto da estação Oktyabrskaya e onde, toda quarta-feira, a entrada é gratuita para o acervo permanente e para algumas exposições temporárias. Este “anexo” da galeria Tretyakov ostenta uma grande coleção de arte russa do século 20, incluindo obras de Malevitch e Kandinsky. Para obter mais informações sobre quais exposições estão em cartaz, acesse o site oficial da galeria.

Museu Pushkin

Outro museu, não menos importante, é o Museu Pushkin, na estação Kropotinskaya. Trata-se de um museu com um enorme acervo de arte. Atualmente estão expostas lá por volta de 700 mil peças de diferentes épocas, desde o Egito Antigo até o início do século XXI. A entrada para o complexo inteiro do museu custa 550 rublos.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Parques

Parque Gorky

Fonte: api.park-gorkogo.com

Mais uma atração imperdível em Moscou são os seus parques. Bem nas margens do Rio Moscou está o Parque Gorky (Парк Горького).  Este é um parque de dimensões quilométricas e se assemelha ao Central Park de Nova Iorque. Aqui você poderá passear pela margem do Rio Moscou, descansar ou fazer um piquenique nos gramados, ter aulas de dança, ver exposições de arte ou simplesmente comer em algum de seus muitos restaurantes. As opções de lazer nesse parque são enormes e o melhor, a entrada é gratuita. O acesso ao parque se dá pela Rua Krimsky Val, a partir da estação Oktyabrskaya.

Fonte: static.tonkosti.ru

Parque Tsaritsyno

Fonte: kudamoscow.ru

Para quem gosta de parques, há também o Parque Tsaritsyno. Este é um parque que ocupa 450 hectares e se encontra na região sul de Moscou (estação Tsaritsyno ou Orekhovo). O parque conta com muita área verde, chafarizes e um complexo de palácios do fim do século XVIII, bem no seu centro. No verão, o parque abre diariamente das 6 da manhã à meia noite. Já suas atrações e palácios têm horários próprios de funcionamento que podem ser conferidos aqui. A entrada para todas as atrações do Parque custa 780 rublos, sendo gratuita todo terceiro domingo do mês.

Fonte: polosaty.ru

O QUE FAZER EM MOSCOU | Bunker 42

O Bunker 42 é um museu subterrâneo, com 67 metros de profundidade, que no período da Guerra Fria foi um abrigo antiaéreo russo totalmente secreto. Dos bunkers construídos durante a guerra, esse é o único aberto à visitação.

Para visitar o lugar, é necessário reservar com antecedência. O site oficial oferece diversos tipos de tour, apenas dois em inglês: Declassified e o Bunker-42 Tour. O Bunker 42 fica um pouco mais afastado do centro e de metrô a estação mais próxima (a 10 minutos dali) é a Taganskaya, da linha circular.

O QUE FAZER EM MOSCOU | Kremlin de Izmaylovo

Por último, quem visita Moscou não pode ir embora sem antes encher a mala com souvenirs tradicionais da Rússia. E para isso, nada melhor do que visitar a tradicional feira de souvenirs que fica no Kremlin de Izmaylovo (Kreml v Izmaylovo em russo).

Kremlin de Izmaylovo é um complexo cultural inaugurado em 2003, cuja arquitetura é uma réplica da arquitetura da Rússia antiga. Lá você encontrará museus sobre brinquedos antigos, pão, vodka e a imperdível feira de souvenirs, com provavelmente os melhores preços de Moscou.

O complexo abre diariamente, mas os melhores dias para visitar são no fim de semana, quando você poderá aprender artesanato e ver o complexo em pleno funcionamento. A maioria das atrações, entretanto, é em russo. Por isso, se quiser visitar os museus, vá com um guia local ou tradutor.

Para comprar os souvenirs, leve dinheiro vivo e não deixe de pechinchar para conseguir um preço ainda melhor. Dá para comprar matrioskas bem baratas, por exemplo. Para chegar ao local, desça na estação Partizanskaya.

Montamos um mapa do metrô para descomplicar a vida, com todas as atrações marcadas por estações. Clique para ampliar.

Volte na Praça Vermelha à noite e passeie por ela e seu entorno. A cidade fica toda iluminada e é uma experiência incrível!

Catedral de São Basílio a noite

GUM e sua iluminação noturna

 

Vista da ponte Bolshoy Moskvoretskiy most

Posts Relacionados